Clube Esportivo Lajeadense

Clube Esportivo Lajeadense

 

Fundado no dia 23/04/1911, na cidade de Lajeado

 

Fotos: Mirela Putrich

Camisa ano 2009

 

Fundado pela iniciativa de um grupo de amigos que se reuniam todos os finais de semana no “ potreiro dos Berner”, um campo improvisado, para praticar o futebol. Este grupo era composto pelos jovens Deodato Borges de Oliveira, Carlos Gravina, Álvaro da Costa Mello, Fritz Plein, Paulo Lima entre outros nomes que se perderam na história.

As cores ficaram definidas como azul e branco. Em 1957 as cores foram definidas como azul celeste, branco e ouro no distintivo. Segundo o historiador José Alfredo Schierolt, as cores do clube são azul e branco porque a maioria dos fundadores do Lajeadense esteve ligado ao Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, fundado oito anos antes. Orlando Fett, que também foi um dos sócios fundadores do Lajeadense, ajudou a fundar o tricolor de Porto Alegre e também presidiu o clube em 1928.

Os primeiros atletas do Lajeadense também eram diretores e sócios do clube, que se mantinha com contribuições mensais. Os primeiros craques do Alviazul eram: Lima, Plein, Plein II; Edmundo Fett, Ernesto Schmidt e Oliveira; João Petry, Henrique Ritter, França Moersch e Willi Hexsel.

Na sua primeira década de existência, o Alviazul já se destacava no cenário regional. Sagrou-se campeão do Alto Taquari, enfrentando equipes dos municípios de Estrela, Encantado e Guaporé. Mas os campeonatos eram escassos e por isso o clube realizava amistosos pela região. O transporte dos jogadores e comissão técnica, para os jogos fora de casa, era realizado com um caminhão de carga, as viagens eram complicadas, principalmente pela precariedade das estradas.

Naquela época, os times eram recebidos com foguetórios e após os jogos, ocorria um jantar-baile. As competições no âmbito regional só começaram acontecer no ano de 1918, quando foi fundada a Federação Gaúcha dos Desportos.

Mesmo sem uma estrutura adequada para treinamento, numa época em que não havia estádio, o Lajeadense destacava-se em âmbito regional. Treinava em um campo irregular, sem drenagem ou terraplenagem, com uma cerca de madeira e uma carreira de tábuas que serviam de arquibancada. O antigo estádio do Florestal, localizado na Avenida Benjamin Constant, era palco de lazer para os jovens nos fins de semana.

O campo ficava no meio do mato. E no meio do mato e da roça existia uma calçada, por onde os torcedores e jogadores se deslocavam em fila indiana.

Na época, o futebol era praticado por amor à camisa, pois nenhum jogador recebia salário. Os atletas do Alviazul vinham com seu fardamento de casa, tendo em vista que não existiam vestiários no campo. Aliás, os fardamentos eram adquiridos com os salários que os futebolistas recebiam em seus empregos.

Em 23 de  janeiro de 1922, foi registrado o primeiro estatuto do clube estabelecendo que a direção deveria ser composta por um presidente, vice, primeiro-secretário, segundo-secretário, primeiro-tesoureiro, segundo-tesoureiro, um orador, um guarda-sport (roupeiro), um diretor de campo, primeiro e segundo captain (assim eram chamados, na época, os técnicos), um porta estandarte e uma Comissão de Contas.

Primeiras participações estaduais:

Em 1926 fez sua primeira participação em campeonatos estaduais. O estado foi dividido em cinco regiões. Os campeões citadinos disputam os regionais. Os campeões regionais disputavam o campeonato gaúcho. Eram 5 times representando as 5 regiões do estado: Grêmio (Centro), Guarany de Bagé (Sul), Independente de Santana do Livramento (Fronteira), Guarany de Cachoeira do Sul (Serra) e Lajeadense (Noroeste). Antes de ingressar no Gauchão, o Lajeadense venceu também o regional (venceu o Juventude por 5x4). O Gauchão foi disputado em jogos únicos e eliminatórios. O time de Lajeado pegou o forte time do Grêmio logo na estreia é foi goleado por 8x3, sendo eliminado do campeonato. Formavam o time campeão da Zona Oeste: Fluck, Billo, Raymundo, Schneider, Mello, Norberto, Romualdo, Stein, Dante, Walter e Kasper. O presidente era Carlos Gravina, e o capitão-geral, Mário Jaeger.

Em 1927 voltou a conquistar o título da 3ª região, vencendo o Santa Cruz por 3x0. Pela final da Noroeste, foi derrotado pelo Nacional de São Leopoldo, por 3x1 e não ganhou a vaga no Gauchão. Na década, essa seria a última participação do clube em campeonatos estaduais.

Em 1931 foi campeão citadino e participou do Regional (1x4 e 4x0 Guarany de Arroio dos Ratos, e depois perdeu no jogo de desempate) que dava ao campeão uma vaga no Gauchão. Não conseguiu a vaga.

Somente na metade da década de 30, o Lajeadense disputaria uma competição estadual. Então foi criada uma liga no Vale do Taquari para organizar competições regionais, chamada Liga de Futebol do Alto Taquari (LFAT). Tendo como presidnte pioneiro Albino Arruda, o primeiro campeonato organizado pela liga contou com a participação de seis times: Lajeadense, Estrela, Encantado, Corvense, Concórdia de Roca Sales e Avante.

Numa era de amador, o Lajeadense fazia seus amistosos com os dois times, primeiro e segundo quadros. O alviazul tinha como adversários equipes como Conventos FBC e Americano FBC, de Lajeado. Estrela, Montenegro, América de Rio Pardo, Esportivo de Bento e P.A. Colegge.

A década de 40 ficou marcada pela proibição dos jogos entre Lajeadense e Estrela por causa da violência, seguindo ordem do policiamento estadual.  Depois de alguns anos, os presidentes dos clubes assinaram um documento para a disputa da Taça da Paz. A agência Chevrolet na época, chefiada por J.A. Spohr, caprichou no troféu. Seriam dois jogos. O público compareceu e lotou o estádio estrelense, mas a partida acabou em pancadaria novamente.

Em 1948, um pavilhão de madeira foi construído no antigo Florestal. E alguns camarotes eram reservados para quem pagasse um valor diferenciado pelo ingresso.

No Campeonato Estadual de 1949 ocorreu uma das grandes vitórias da história do Lajeadense. A vitória por 3x1 sobre o Juventude, no antigo Florestal, classificou o Alviazul para a decisão da Zona Leste. Os três gols foram marcados pelo centroavante Ênio, e o Lajeadense atuou com Schmitão, Oli e Baldo; Darci, Ivo Brener e Klein; Rudi, Kaspinha, Ênio, Costinha e Biquinho. O técnico era Risada.

Em março de 1952, o antigo Florestal recebia melhorias. Em amistoso diante do expressinho do Grêmio, o Lajeadense inaugurava o sistema de iluminação. Dentro de campo, vitória por 5x2. Ênio, o “Canhão do Vale do Taquari”, marcou três vezes. Ressoli fez os outros dois do Alviazul.

Em 1955,  foi vice-campeão da Segundona.

Em 1957,  foi vice-campeão da Segundona

Em 1959 que o Lajeadense conquistou o primeiro título de sua história. A competição iniciou em setembro de 1959 e terminou somente em 1960, com a participação de 25 clubes. O Alviazul ficou em primeiro na Zona Centro, disputada com Encantado, Estrela e Avenida. No triangular final, obteve vitórias sobre o Atlântico em Erechim (3x2) e Nacional (1x0). Na sequência foi derrotado pelo Atlântico e empate sem gols com o Nacional. Com o empate por 1x1 entre Atlântico e Nacional na última rodada, o time fez a festa com o primeiro título estadual da história.

Em 1963, depois de adquirir uma nova área, o Lajeadense passou a treinar em seu novo estádio. O Florestal foi inaugurado numa partida diante do São José: o primeiro gol foi marcado por Antoninho, no goleiro do Zequinha, chamado Eulálio Tombini. O padre Érico Schmidt foi quem deu o pontapé inicial.

Com o futebol profissional parado em 1973, os departamentos de futebol de Clube Esportivo Lajeadense e São José resolveram se unir e fundar a Lajeado Associação de Esportes (LAE). Surgiram rumores de que muitos torcedores do Lajeadense ficaram insatisfeitos, pois os times fundidos eram rivais. O então presidente da LAE era Erni Teixeira. A prefeitura comprou o campo do São José. O Lajeadense cedeu para a LAE toda sua estrutura. O uniforme tinha as cores preto, branco, vermelho e até azul. Em campo disputou a Copa Governador do Estado. O regulamento era 25 clubes do interior divididos regionalmente em 5 grupos. Os 2 primeiros classificavam-se para a fase final, onde juntavam-se com mais 10 clubes (Caxias, Aimoré, Bagé, Esportivo, Inter/SM, AESA, Gaúcho, Pelotas, São José e Brasil/Pe) e o melhor levantava a taça. O Lajeado foi segundo do grupo 2 e classificou-se (3V,3E,2D)  para a fase final onde ficou na lanterna (4V,1E,14D)

A LAE disputou, em 1974, sua primeira competição na Segunda Divisão. Depois de uma vitória sobre o Igrejinha, garantiu vaga a primeira, em 1975. Nesse ano, houve grandes confrontos no Florestal, diante do Inter de Falcão. Com o torcedor já acostumado com a fusão, o Florestal lotava em dia de clássicos contra Estrela, Encantado e em grandes confrontos com a Dupla Gre-Nal. Também disputou a Copa Governador do Estado. O regulamento era 18 clubes do interior divididos regionalmente em 3 grupos. Os 4 primeiros classificavam-se para a fase final, onde juntavam-se com mais 5 clubes (Novo Hamburgo, Pratense, São José, Riograndense/RG e São Luiz) e o melhor levantava a taça. O Lajeado foi 3° do grupo 3 (4V,3E,3D) e classificou-se para a fase final onde ficou em  14° (5V,3E,8D)

Em 1975 disputou o Campeonato Gaúcho. Foi disputado por 32 equipes: A.A Alegrete, ACF, AESA, ASCF, Cachoeira, Atlético/CAR, Aimoré, Esportivo, Atlântico, Elite, Encantado, Inter, Inter/SM, Inter/SB, Novo Hamburgo, Pelotas, São José, São Luiz, Riograndense/RG, Farroupilha, Guarany/GAR, Grêmio, Grêmio/SL, Bagé, Juventude de Guaporé, Guarany/BG, Lajeado, Gaúcho, Rio Grande, São Paulo/RG, Tupy e Ypiranga. O regulamento era: Grêmio e Internacional ficaram fora da primeira fase do campeonato, os outros 30 clubes foram divididos em 6 grupos, onde os três primeiros se classificavam para a fase final, que teria 20 times, em jogos somente de ida, onde os 4 primeiros fariam as finais. O Lajeado ficou em terceiro colocado no grupo A (3V, 3E, 2D) e classificou-se para a fase final, onde ficou em décimo terceiro (6V, 5E, 8D). Também disputou a Copa Governador do Estado. Foi disputada por 54 equipes do interior e dava vagas ao Gauchão do ano seguinte e as Copinhas disputadas no segundo turno (Cícero Soares e Pedro Carneiro Filho). Eram várias fases classificatórias até as finais. O Lajeado  foi bem e levou uma vaga no Gauchão do ano seguinte

Em 1976 disputou o Campeonato Gaúcho. Foi disputado por 32 equipes: Ferrocarril, A.A Alegrete, Armour, Sá Viana, Juventude, Caxias, ASCF, Pradense, Santa Rosa, Atlético/CAR, Aimoré, Esportivo, Cruzeiro/PA, Atlântico, Estrela, Inter, Inter/SM, Inter/SB, Pelotas, São José, São Luiz, Riograndense/RG, Farroupilha, Guarany/GAR, Grêmio, Bagé, Juventude de Guaporé, Guarany/BG, Lajeado, Gaúcho, Tupy e Ypiranga. O regulamento era: Grêmio e Internacional ficaram fora da primeira fase do campeonato, os outros 30 clubes foram divididos em 6 grupos, onde os três primeiros se classificavam para a fase final, que teria 20 times, em jogos somente de ida, onde os 4 primeiros jogariam em dois turnos todos contra todos. Os vencedores de cada turno fariam a final. Caso o mesmo time vencesse os dois turnos, ganhava o direito de ser campeão com dois empates ou apenas uma única vitória. O Lajeado ficou em último colocado no grupo C (3E, 5D) e foi eliminado

 

Em 1979, o Lajeadense superou adversários de todas as regiões do Estado para conquistar a Segundona daquele ano, numa competição que se estendeu por mais de seis meses. O título veio com uma rodada de antecedência ao vencer o Aimoré, no Florestal, com gol de Itamar. A formação vitoriosa teve Júlio, Catarina, Bruno, Kety e Pete; Cléber, Itamar e Luis Carlos; Nilo, Darci e Müller. O técnico era Chaveco.

Em 1980 disputou o Campeonato Gaúcho. Foi disputado por 16 equipes: Brasil/PE, Farroupilha, Lajeadense, São Borja, Juventude, Caxias, Esportivo, São Paulo/RG, Inter, Inter/SM, Novo Hamburgo, Pelotas, Grêmio, Bagé, Guarany/BG e Gaúcho. O regulamento era: As equipes se enfrentam em turno e returno. Os seis melhores classificados disputam o hexagonal final. São rebaixados os 6 últimos colocados na soma dos turnos.  O Lajeadense fez uma campanha péssima no primeiro turno (ficou em penúltimo) e no segundo turno ficou em um razoável 10° lugar, sendo rebaixado para a segunda divisão

Em julho de 1981, mais de cinco mil pessoas compareceram ao estádio do Florestal para o jogo entre Lajeadense e Internacional. Falcão, craque colorado, havia sido vendido para a Roma e se despedia do time. Naquela noite de quinta-feira, o Lajeadense venceu por 1x0, com gol de Mauro Farias. Com o resultado, o Grêmio foi o campeão gaúcho. Pela Libertadores, o Inter disputaria o título na quarta-feira seguinte, contra o Nacional, em Montevidéu. O Lajeadense atuou com Júlio, Catarina, Bruno, Tasca e Pedro; Máximo, Mauro (Reinaldo) e Itamar; Muller, Nonda (Chiquinho) e Volnei, tendo Chaveco como treinador. O Inter tinha Gasperín, Toninho, Mauro Pastor, Mauro Galvão e André Luís; Batista, Tonho (Popéia) e Falcão; Jair, Chico Espina (Jones) e Mário Sérgio. O técnico era Ênio Andrade. Pagaram para assistir ao jogo 5.974 pessoas.

Em 1983, o Lajeadense caiu para o "Grupo da Morte", na Segundona. Mesmo com uma campanha irregular, conseguiu recuperação e se manteve vivo para o próximo ano. O Alviazul foi campeão da repescagem e era treinado por Élio Giovanella. O time tinha Ricardo, Juarez, Rogério, Marcão, Mauro Espumoso, Duarte, Luís Muller, Garibaldi, Paulinho, João Luís, Roberto, Volney, Marquinhos, Bruno, Joel, Betinho e Airton.

Em 1985 foi disputou a Copa Integração Vale do Rio Pardo e Vale do Taquari. Esse torneio foi disputado pelo Avenida, Santa Cruz e o Lajeadense. Cada um jogava contra si e o time com mais pontos seria o campeão. O Lajeadense, das 4 partidas disputadas venceu uma (2x0 Avenida), empatou uma (0x0 Santa Cruz) e perdeu duas (1x2 Santa Cruz e 1x2 Avenida). Ficou em último lugar.

Em 1986, o Lajeadense disputou com 30 equipes as duas vagas que garantiram, além do Alviazul, o Passo Fundo de volta à elite do Gauchão. Depois de 13 jogos no octogonal final, a partida decisiva ocorreu em Erechim. Com o placar em 0x0, a torcida era para que o confronto entre São José e Passo Fundo terminasse empatado. Todos ajoelhados, na metade do gramado, comemoraram o vice-campeonato e a vaga garantida na elite do futebol gaúcho, em 1987. Torcedores lotaram seis ônibus para ir a Erechim. No retorno, Lajeado parou esperando os novos heróis. Naquele ano, a formação tinha Edison, Giba, Gilmar, Eliseu, Nico e Juarez; João Luiz, Peninha, Manoel, Volnei e Betinho.

Em 1987 disputou o Campeonato Gaúcho. Foi disputado por 14 equipes: Lajeadense, Inter/SM, Juventude, Novo Hamburgo, Grêmio, Brasil/Pe, Passo Fundo, Caxias, Esportivo, São Borja, Inter, Pelotas, Santa Cruz e São Paulo/RG. O regulamento era dois turnos com jogos de ida. Os seis melhores na soma dos dois turnos fariam o hexagonal final. Nesse ano os dois últimos clubes seriam rebaixados (somando os turnos). O Lajeadense foi muito mal, ficou em décimo segundo e por pouco não foi rebaixado (4V, 11E, 11D). Ainda disputou a Copa Governador do Estado, famosa competição nos anos 70. Dessa vez reuniu apenas 5 clubes: Inter/SM, Lajeadense, Pelotas, Novo Hamburgo e São Paulo. O regulamento eram jogos entre si em ida e volta e levantava a taça quem tivesse mais pontos. O Lajeadense foi muito mal e ficou na lanterninha com apenas 3 pontos (1V,1E,6D).

Em 1988 disputou o Campeonato Gaúcho. Foi disputado por 14 equipes: Lajeadense, Inter/SM, Juventude, Guarany/CA, Grêmio, Brasil/Pe, Passo Fundo, Caxias, Esportivo, Aimoré, Inter, Pelotas, Santa Cruz e São Paulo/RG. O regulamento era dois grupos de sete, todos do grupo A contra todos do grupo B. Os dois melhores de cada grupo fazem a semifinal em jogo único. Os vencedores da semifinal fazem a final. O vencedor é o campeão da primeira fase, se classifica e leva um ponto extra para o hexagonal final, onde se juntariam com os quatro melhores colocados no geral, em jogos todos contra todos. Nesse ano os oito clubes não classificados para o hexagonal disputam em turno e returno, por pontos corridos, o octogonal da morte. Os dois piores estão rebaixados. O Lajeadense ficou na lanterninha da classificação geral (1V,4E,8D) e teve que ir para o Torneio da Morte, onde ficou em 5° (5V,3E,6D) e se salvou do rebaixamento

Em 1989 disputou o Campeonato Gaúcho. Foi disputado por 14 equipes: Lajeadense, Inter/SM, Juventude, Novo Hamburgo, Grêmio, Glória, Passo Fundo, Caxias, Esportivo, Aimoré, Inter, Pelotas, Santa Cruz e São Paulo/RG.  O Lajeadense fez uma campanha fraca e terminou em 10°

Em 1990 disputou o Campeonato Gaúcho. Foi disputado por 14 equipes: Lajeadense, Ypiranga, Juventude, Novo Hamburgo, Grêmio, Glória, Passo Fundo, Caxias, Esportivo, Aimoré, Inter, Pelotas, Santa Cruz e Guarany/CA. Nesse ano o regulamento mudou de novo. No primeiro turno e segundo turno, em jogos únicos, os dois primeiros de cada turno ganhavam vaga na semifinal. Caso algum clube estivesse entre os dois primeiros nos dois turnos, os classificados seriam apontados nos melhores da classificação geral. Essa classificação geral também apontava os dois rebaixados. O campeão e o vice ganhavam vaga na Copa do Brasil do ano seguinte. O Lajeadense fez uma campanha muito fraca e quase foi rebaixado (6V,10E,10D) terminando em 11°

Em 1991 disputou o Campeonato Gaúcho. Novamente sofreu um inchaço de clubes e foi disputado por 20 equipes: Lajeadense, Guarany/CA, Ypiranga, Juventude, Grêmio, Glória, Passo Fundo, Caxias, Esportivo, Inter, Pelotas, Santa Cruz, São Luiz e Guarani/VA. Foram incluídos: São Paulo,  Aimoré, Brasil/Pe, Novo Hamburgo (classificados da Copa Cidade de Porto Alegre), Ta-guá e Dínamo/SR (classificados da Copa Aneron Corrêa de Oliveira). Nesse ano o regulamento era o seguinte: dois grupos com 10 times se enfrentam em turno e returno. Os oito melhores na classificação geral classificam para dois quadrangulares, onde os vencedores de cada um deles fariam a finalíssima. Nesse ano não houve rebaixamento. O Lajeadense se classificou para esses quadrangulares, sendo 3° do grupo B (10V,4E,5D). No quadrangular ficou em 2° no grupo B (3V,3D) e não foi para a final. Ainda disputou a Copa Governador do Estado, famosa competição nos anos 70. Dessa vez reuniu  14 clubes:  Esportivo, Lajeadense, Guarani-VA, Juventude, Passo Fundo, Pelotas, São Luiz, Santa Cruz, Glória, Caxias, Ypiranga, Guarany/CA e a dupla GRE-NAL. A dupla GRENAL E CAJU entraram na segunda fase, onde dois quadrangulares foram formados com os 4 primeiros da fase inicial (aqui os outros 10 times jogaram em turno/returno). O Lajeadense foi 6⁰ com 19 pontos (7V,5E,6D)

Em 1992 disputou o Campeonato Gaúcho. Novamente com um inchaço de clubes, dessa vez sendo disputado por 22 equipes: Inter/SM, Lajeadense, Guarany/CA, Ypiranga, Juventude, Grêmio, Glória, Passo Fundo, Caxias, Esportivo, Inter, Grêmio Santanense, Pelotas, Santa Cruz, São Luiz, Guarani/VA, São Paulo, Aimoré, Brasil/Pe, Novo Hamburgo, Ta-guá e Dínamo/SR. Nesse ano o regulamento era o seguinte: dois grupos com 11 times se enfrentam em turno e returno. Os quatro melhores de cada grupo fazem dois quadrangulares, onde os vencedores de cada um deles fariam a finalíssima. Nesse ano, novamente, não houve rebaixamento. O Lajeadense não se classificou. Foi lanterninha do grupo A (3V,8E,10D)

Em 1993 disputou a Copa do Rio Grande do Sul. Eram 10 times jogando em turno e returno. Os 4 melhores iam para a semifinal em jogos de mata-mata. O Lajeadense ficou em terceiro lugar (9V, 3E, 6D). Por algum motivo que desconheço não se classificou para a semifinal e entrou o Brasil de Pelotas em seu lugar. Ainda disputou o inchado Campeonato Gaúcho, dessa vez sendo disputado por 24 equipes: Guarany/GA, Brasil de Farroupilha, Inter/SM, Lajeadense, Guarany/CA, Ypiranga, Juventude, Grêmio, Glória, Passo Fundo, Caxias, Esportivo, Inter, Grêmio Santanense, Pelotas, Santa Cruz, São Luiz, Guarani/VA, São Paulo, Aimoré, Brasil/Pe, Novo Hamburgo, Ta-guá e Dínamo/SR. Nesse ano o regulamento era o seguinte: as 22 equipes do interior jogam se enfrentam em turno/returno. Classificam as 14 primeiras colocadas que se somam a dupla grenal. As 16 equipes formam 4 grupos com 4 equipes, onde os dois primeiros classificam para um octogonal. O campeão desse octogonal levanta a taça. Seriam rebaixados os dois últimos na primeira fase. O Lajeadense fez uma ótima campanha e ficou em 3° (10V,6E,5D), garantindo vaga na segunda fase. Na segunda fase disputou o grupo C e foi 3° (3V,1E,2D) e por um motivo que desconheço jogou o octogonal ao invés do Ypiranga que foi o 2°. No octogonal, perdeu 5 pontos por uma escalação irregular. Com isso caiu de 5° para segurar a lanterna (4V,4E,6D)

Em 1994 disputou o Campeonato Gaúcho, dessa vez sendo disputado por 23 equipes: Guarany/GA, Bagé, Brasil de Farroupilha, Inter/SM, Lajeadense, Guarany/CA, Ypiranga, Juventude, Grêmio, Glória, Passo Fundo, Caxias, Esportivo, Inter, Grêmio Santanense, Pelotas, Santa Cruz, São Luiz, Guarani/VA, São Paulo, Aimoré, Brasil/Pe e Veranópolis. Esse foi o campeonato mais longo da história, durou de março a dezembro. Cada equipe fez incríveis 44 jogos. Nesse ano o regulamento era bem simples: todos contra todos em turno e returno e o primeiro levantava o caneco, porém houve uma espécie de rebaixamento em massa, pois o regulamento dizia que do 15 ao 23° iriam jogar a Segundona do ano seguinte. O Lajeadense fez uma péssima campanha, ficou em 21° e foi rebaixado (10V,13E,21D)

Em 1995 disputou a Copa João Giugliani Filho. Eram 10 times, divididos em dois grupos, onde os três primeiros iriam para o hexagonal final e o primeiro seria o vencedor. O Lajeadense caiu no Grupo B e foi o terceiro (3V, 2E, 3D), passando para o hexagonal, onde foi o lanterna (3E, 7D). Ainda disputou o Campeonato Gaúcho (nesse ano teve uma grande confusão, pois a elite foi dividida em Série A e B. A Série B era uma Divisão Intermediaria. Os clubes eram campeões de seus grupos e subiram para a “primeira divisão” no mesmo ano. Em tese seria a atual Segundona. Também teve a 2°divisão, que é em tese seria a atual Terceirona). A “Série A” foi disputado por 14 equipes: Guarani-VA, Juventude, Pelotas, São Luiz, Santa Cruz, Brasil/PE, Glória, Grêmio, Grêmio/SL, Brasil-Far, Caxias, Inter, Veranópolis e Ypiranga. A “Série B” tinha 10 equipes: Guarany/GA, Inter/SM, Passo Fundo, Atlético de Carazinho, 15 de Campo Bom, Esportivo, Lajeadense, Aimoré, Bagé e Guarany/CA. Nesse ano o regulamento era: Na Série A todos contra todos em turno e returno. Os 6 primeiros se classificam para o octogonal final junto com os dois primeiros da “série B” (Esportivo e Atlético de Carazinho que classificaram). Na série B todos jogam contra todos e os 6 primeiros se classificam para formar dois grupos com 3 times, onde os vencedores disputam o octogonal. O octogonal seria dividido em dois grupos de 4 onde os vencedores fariam a final. O rebaixamento seria disputado em um torneio da Morte entre os quatro últimos da “Série B”. O Lajeadense foi o 7° da Série B (7V,5E,6D) e teve que se safar da degola no torneio da Morte onde ficou em penúltimo e foi rebaixado para a Segundona Gaúcha

Em 1997 foi vice-campeão da Segundona Gaúcha

Em 1998, disputou a Copa Abilio dos Reis. Eram 9 times em jogo turno e returno. Os 4 primeiros ganhariam o direito de jogar o Gauchão 1999. O Lajeadense foi o grande Campeão (9V, 2E, 5D). Além da taça, assegurou vaga no Gauchão 1999. Ainda disputou o Campeonato Gaúcho "Divisão B" mas não passou da primeira fase

Em 1999 disputou a Copa RBS. Eram 3 times jogando em turno e returno. O Lajeadense foi o vice-campeão (1V, 1E, 2D). Destaque para a goleada de 3x0 no Guarani-VA em Lajeado. Ainda disputou o Campeonato Gaúcho “Divisão A” e foi rebaixado para a segundona gaúcha

Em 2005 disputou a Copa RS (Copa Big/Brasil Telecom). Eram 28 times divididos em 4 grupos, onde 16 times passariam para a segunda fase, onde seriam divididos em 4 grupos. Os dois primeiros de cada iam para as quartas de final. O Lajeadense caiu no Grupo C ao lado de outros 6 times. Ficou em primeiro no grupo (9V, 3D) e classificou-se para a fase seguinte, com destaque para as goleadas aplicadas: 3x0 no Juventude, 3x0 e 6x2 no Estrela. Na fase seguinte caiu no grupo ao lado de Pelotas, Caxias e Juventude. Em 6 jogos, venceu três, empatou um e perdeu dois. Ficou em segundo e seguiu adiante. Nas quartas encarou o Novo Hamburgo e foi eliminado perdendo os dois jogos: 3x2 e 3x1

Em 2006 disputou a Copa FGF. Eram 23 times divididos em dois grupos. Os oito primeiros de cada grupo classificavam para as oitavas, onde os confrontos seriam em mata-mata. O Lajeadense ficou no grupo B e fez uma péssima campanha, terminando em último (3V, 3E, 16D), conseguindo ser eliminado ainda na primeira fase.

Em 2007 disputou a Copa FGF (Copa Paulo Rogério Amoretty). Eram 17 times divididos em dois grupos. Os 4 primeiros de cada grupo classificavam para as oitavas de final. O campeão garante vaga na Série C 2008 e na I Recopa Sul-Brasileira. O Lajeadense ficou no Grupo A e acabou em penúltimo, após uma péssima campanha (3V, 2E, 11D) e foi eliminando ainda na primeira fase.

Em 2009 disputou a Copa FGF (Copa Arthur Dallegrave). Eram 19 times divididos em dois grupos, onde os 8 primeiros classificavam-se para a segunda fase. O Campeão recebe uma vaga no Brasileiro da Série D 2010 e para a Recopa Sul-Brasileira 2009. O Vice pode escolher entre a vaga na Serie D 2010 e a Copa do Brasil 2011. O Lajeadense caiu no Grupo A e ficou em sétimo (6V, 3E, 9D), garantindo vaga para a segunda fase, onde eliminou o Grêmio B (2x2 casa e 2x1 fora). Nas quartas eliminou o Cerâmica (0x0 casa e 1x1 fora). Na semifinal foi eliminado para o Ypiranga, após perder as duas partidas (0x1 em casa e 0x2 fora)

No dia 30 de janeiro de 2010 que o Lajeadense estreou sua caminhada de volta à elite do futebol gaúcho. No primeiro turno, foram seis vitórias, cinco empates e cinco derrotas; 17 gols marcados e 11 sofridos. Na segunda fase, o Alviazul terminou na segunda colocação da chave. Na terceira fase, contra adversários mais fortes, o Lajeadense mostrou que queria chegar na frente: venceu cinco, empatou uma e não perdeu. Terminou líder do grupo, com sete pontos a frente do segundo colocado. Na quarta e decisiva fase, o Lajeadense manteve o ritmo e em 19 de junho de 2010, venceu o Cruzeiro por 3 à 0 e garantiu vaga no Gauchão do ano seguinte. Os gols foram marcados por Robert, Rudiero e Castiano.

Em 2010 disputou a Copa FGF (Copa Enio Costamilan). São 18 times divididos em 3 grupos (Região Metropolitana, Serra e Fronteira). No grupo Metropolitano algo incrível, onde os 6 times classificavam para a proxima fase. Nos outros dois, apenas o último de cada grupo era eliminado. Os 16 classificados faziam mata-matas até as finais. O Campeão recebe uma vaga no Brasileiro da Série D 2011 ou Copa do Brasil 2012 e para a Recopa Sul-Brasileira 2010. Vice-Campeão recebe vaga na Copa do Brasil 2012. O Lajeadense caiu no Grupo da Serra e acabou em quinto (2V, 3E, 5D) e classificou-se para a segunda fase, onde foi eliminado pelo Inter B, após perder as duas partidas (2x3 casa e 0x1 fora)

Em 2011 disputou o Campeonato Gaúcho. No primeiro turno (Taça Piratini), os 8 clubes de um grupo enfrentam os 8 clubes do outro grupo, classificando os 4 primeiros para as fases seguintes onde se enfrentam em jogo único. No segundo turno (Taça Farroupilha), os 8 clubes jogam dentro dos grupos, seguindo o mesmo regulamento. Os vencedores de cada turno decidem o campeonato. O último de cada grupo, ao final dos dois turnos será rebaixado. O Lajeadense ficou em 6° do grupo 1 da TP (3V,3E,2D) e foi eliminado. Na TF ficou em 3° (2V,1E,4D) e classificou-se para as quartas onde caiu diante do Juventude por 3x0 fora de casa. Disputou a Copa FGF (Copa Laci Ughini). Eram 22 times divididos em três grupos com jogos turno e returno. Classificam-se os cinco primeiros de cada grupo mais o melhor sexto colocado. O campeão levava ainda uma vaga na Série D 2012 e o vice uma vaga na Copa do Brasil 2013. O Lajeadense caiu no grupo 2, ficou em segundo (7V, 2E, 3D) e classificou-se para as oitavas, onde eliminou o Aimoré (0x0 fora e 1x0 casa). Nas quartas eliminou o 14 de Julho/SL (0x1 fora e 2x0 casa). Na semifinal bateu o Grêmio B (4x2 casa e 0x0 fora). Na final contra o Juventude, empatou em Caxias o primeiro jogo por 2x2 e levou a decisão para Lajeado, onde foi derrotado por 2x1, ficou com o vice-campeonato e de quebra levaria uma inédita vaga na Copa do Brasil 2013, porém acabou disputando a Série D nacional, pois o regulamento dizia que a vaga seria do Lajeadense se a final do Gauchão 2012 fosse disputada pela dupla Gre-Nal, como a decisão teve o Caxias contra o Inter, a vaga para a Copa do Brasil 2013 ficou com a equipe da serra gaúcha.

Em 2012 disputou o Campeonato Gaúcho. No primeiro turno (Taça Piratini), os 8 clubes de um grupo enfrentam os 8 clubes do outro grupo, classificando os 4 primeiros para as fases seguintes onde se enfrentam em jogo único. No segundo turno (Taça Farroupilha), os 8 clubes jogam dentro dos grupos, seguindo o mesmo regulamento. Os vencedores de cada turno decidem o campeonato. O último de cada grupo, ao final dos dois turnos será rebaixado. O Lajeadense ficou em quarto do grupo 1 da TP (3V,3E,3D) e classificou-se para as quartas, onde foi eliminado pelo Novo Hamburgo, fora de casa por 1x0. Na TF ficou em sexto (1V,4E,2D) e foi eliminado

Em 2013 disputou o Campeonato Gaúcho. No primeiro turno (Taça Piratini), os 8 clubes de um grupo enfrentam os 8 clubes do outro grupo, classificando os 4 primeiros para as fases seguintes onde se enfrentam em jogo único. No segundo turno (Taça Farroupilha), os 8 clubes jogam dentro dos grupos, seguindo o mesmo regulamento. Os vencedores de cada turno decidem o campeonato. Os três últimos na classificação geral serão rebaixados. O Lajeadense ficou em primeiro do grupo 1 da TP (5V,3E) e classificou-se para as quartas, onde foi eliminado em casa pelo Esportivo nas penalidades, após empate em 1x1 no tempo normal. Na TF ficou em quarto (2V,4E,1D)  e classificou-se para as quartas onde caiu diante do Inter, levando 2x1 fora de casa. Ainda disputou a Copa FGF (Copa Willy Sanvitto). Eram 16 times disputando jogos em mata-mata desde o inicio. Na primeira fase, se o escore do visitante for igual ou superior à 2 gols, não há jogo de volta. O Lajeadense enfrentou de cara o Pelotas e foi eliminado (1x1 casa e 0x2 fora). Ainda disputou o Campeonato da Região Serrana. Eram 6 times participando. O campeão ganhava uma vaga na Supercopa Gaúcha. Os times ficaram em apenas um grupo, onde os 4 melhores fariam as semifinais. Eram dois turnos. Os campeões de cada turno fariam a final. No primeiro turno, o Lajeadense ficou em quarto (2V, 1E, 2D) e garantiu presença na semifinal, onde foi eliminado pelo Passo Fundo (1x1 casa e 1x2 fora). No segundo turno, ficou em segundo (3V, 1E, 1D) e novamente garantiu presença nas semifinais, onde eliminou o Juventude (0x1 fora e 3x1 casa). Na final, do segundo turno enfrentou o algoz Passo Fundo e dessa vez se deu melhor, sendo campeão, garantindo vaga na decisão (0x1 casa e 1x0 fora – gol de Cleverson - e ganhando por 4x1 nos pênaltis). A decisão foi o tira-teima contra o Passo Fundo. Jogou a primeira em Lajeado, e deu empate em 0x0. Em Passo Fundo, perdeu por 2x1 e ficou com o vice. Ainda disputou o Brasileirão Série D. Na primeira fase os 40 clubes foram divididos em oito grupos com cinco clubes cada, agrupados regionalmente. Os dois primeiros de cada grupo classificaram-se à segunda fase, onde estes 16 clubes restantes jogaram em sistema eliminatório em jogos de ida e volta – iniciando-se nas oitavas-de-final – onde classificam-se os clubes com melhor resultado agregado, considerando vitórias e gols marcados como visitante. Na terceira fase (quartas-de-final), os oito clubes restantes novamente jogaram em sistema eliminatório, idêntico ao da fase anterior, classificando-se os vencedores para as semifinais. Os clubes com melhor campanha jogaram a segunda partida em seu estádio. Os quatro semifinalistas adquiriram o direito de disputar a Série C de 2014. Vencedores das semifinais jogaram as finais em ida e volta, com o clube de melhor campanha realizando a partida decisiva em seus domínios. O melhor resultado agregado nas finais coroou o campeão da Série D de 2013. O Lajeadense caiu no fortíssimo grupo 8 ao lado de Metropolitano, Londrina, J. Malucelli e Botafogo/SP. Fez uma fraca campanha e ficou na lanterna (2V,3E,3D)

Em 2014 disputou o Campeonato Gaúcho. Assim como nos últimos anos, a disputa envolveu 16 clubes distribuídos em duas chaves. Diferente como foi as últimas edições, teve turno único. Os 4 primeiros de cada grupo terão vaga nas fases de mata-mata. As quartas-de-final e semifinal serão disputadas em uma partida, enquanto que a final sera disputada em dois jogos. Os três primeiros colocados garantem vaga na Copa do Brasil de 2015. Os três piores são rebaixados para a Segundona. O Lajeadense foi penúltimo no grupo A (4V,4E,7D) e foi eliminado. Ainda disputou a Copa Sul-Fronteira. Eram 7 times: Bagé, Farroupilha, Grêmio, Guarani-VA, Lajeadense, Santa Cruz e São Paulo. Todos contra todos em turno e returno. Os 4 melhores vão para as semifinais. O Lajeadense ficou em primeiro (8V,4E,2D) e classificou-se para as semifinais. Na semi eliminou o São Paulo vencendo as duas partidas com folga: 3x1 fora e 5x0 em casa. A final foi contra o Grêmio B. No primeiro jogo deu empate em 1x1. Na final, jogando em seus domínios, venceu o tricolor por 2x0 e levantou a taça. Também disputou a Copa FGF (denominada Copa Fernandão). O torneio será disputado no sistema de mata-mata, ao estilo da Copa do Brasil. Na primeira fase (oitavas-de-final), o time melhor qualificado no ranking da FGF joga a primeira partida como visitante. Caso este time vença a partida por 2 ou mais gols de diferença, estará automaticamente classificado para a próxima fase. A partir das quartas-de-final, a ordem dos jogos foi definida por sorteio e a partida de volta é obrigatória. São 22 clubes começando na primeira fase. Os vencedores das 11 partidas e o melhor perdedor avançam a segunda fase. Os vencedores das 6 partidas e os 2 melhores perdedores avançam às quartas-de-final. A partir daí, apenas os vencedores avançam às semifinais e às finais. O Lajeadense fez seu primeiro jogo contra o Farroupilha, em casa. Acabou goleando por  5x1 e teve que jogar a volta, onde goleou novamente, dessa vez por 3x0. Na segunda fase mais duas goleadas: 6x1 e 4x0 no Estancia Velha de Canoas. Nas quartas de final eliminou o Santa Cruz: 1x0 em casa e 2x1 fora. Nas semifinais eliminou o São José: 5x0 casa e 0x4 fora. Depois desse susto foi para final contra o Guarani/VA. No primeiro jogo no Edmundo Feix deu 1x1. Em casa e com o apoio de sua torcida, segurou um empate em 0x0 e levantou o caneco e uma vaga na Copa do Brasil 2015. Disputou ainda a Supercopa Gaúcha, disputada entre os campeões da Copa FGF e dos Campeonatos Metropolitano, Sul-Fronteira e Serrano). O Grêmio B entrou como vice da Serrana porque o Lajeadense ganhou a Sul-Fronteira e a Copa FGF. O regulamento era uma semifinal em jogo único onde o vencedor ia para a final. O Lajeadense enfrentou o Juventude e venceu por 1x0, garantindo vaga na final, onde com o apoio de sua torcida no Alvi-azul, bateu o Novo Hamburgo por 2x1 e sagrou-se campeão, garantindo vaga na Série D 2015. Ainda disputou sua primeira Copa do Brasil e caiu logo na primeira fase diante do Bragantino (0x0 e 0x1).

Em 2015 conquistou seu quarto título em dois anos, dessa vez foi campeão da Recopa Gaúcha. Essa competição, em jogo único, reunia o campeão gaúcho 2014 (Internacional de Porto Alegre) e o campeão da Copa FGF, o Lajeadense. Jogando em casa, deu empate em 1x1 no tempo normal. Nas penalidades, o goleiro Luiz Muller brilhou e garantiu a taça. Pela Copa do Brasil, foi eliminado ainda na primeira fase pelo Bragantino (2x1 em casa e 0x1 em Bragança Paulista). Ainda no primeiro semestre disputou o Campeonato Gaúcho. Os 16 clubes jogam em turno único, onde os 8 primeiros seguem adiante. Nas quartas e semifinal em jogos eliminatórios. A final é em dois jogos. Os três primeiros colocados disputarão a Copa do Brasil de 2016. Os três piores são rebaixados para a Segundona. O Lajeadense foi o 5° da primeira fase (6V,6E,3D) e classificou-se para as quartas, onde foi eliminado pelo Brasil de Pelotas (esse jogo foi em Rio Grande pois o xavante teve o Bento Freitas interditado) por 2x1. No segundo semestre disputou o Brasileiro Série D. Na primeira fase os 40 clubes são divididos em oito grupos com cinco clubes cada. Os dois primeiros de cada grupo classificam-se à 2⁰ fase, onde jogam em jogos eliminatórios de ida e volta – iniciando-se nas oitavas de final. Nas quartas de final, os 8 clubes restantes novamente jogam em sistema eliminatório, classificando-se os vencedores para as semifinais. Os 4 semifinalistas conquistam o direito de disputar a Série C 2016. Os vencedores das semifinais jogam as finais em ida e volta. O melhor resultado agregado nas finais definirá o campeão. O Lajeadense caiu no grupo 8, ao lado de São Caetano/SP, Volta Redonda/RJ, Metropolitano/SC e Foz do Iguaçu/PR. Fez 4V,3E,1D e ficou em segundo, passando para a fase seguinte, onde eliminou o Central-PE vencendo os dois jogos (4x0 casa e 2x1 fora). Nas quartas acabou sendo eliminado pelo River/PI, levou 3x0 no Piauí e ficou no melancólico 1x1 na Arena AlviAzul.

Resultados obtidos (* jogos em casa):

0x5 São Caetano /   1x0 Metropolitano*   / 3x0 Foz do Iguaçu*  / 2x0 Volta Redonda/ 2x2 Foz do Iguaçu  /  2x1 Volta Redonda* /  0x0 Metropolitano / 

1x1 São Caetano*/ 4x0 Central*  / 2x1 Central   /  0x3 River   /  1x1 River*

Ainda disputou a Copa FGF (Copa Luiz Fernando Costa). Foi disputada por 18 equipes em jogos de mata-mata. O campeão leva uma vaga na Supercopa Gaúcha 2015 e na Copa do Brasil 2016. O Lajeadense eliminou o Marau na primeira fase, vencendo fora de casa por 4x2, eliminado o jogo da volta. Na segunda fase jogou contra o Novo Hamburgo fora de casa e perdeu por 1x0 (não teve a segunda partida), mas classificou-se pelo confuso regulamento. Na terceira fase passou pelo Novo Hamburgo, vencendo no Vale por 2x0 e perdendo em casa por 2x1. Na semifinal eliminou o São José: 1x1 em Porto Alegre e 0x0 em casa. Fez a final contra o Pelotas: no primeiro jogo em casa empate em 1x1. Na finalissima da Boca do Lobo, venceu por 1x0 e sagrou-se bicampeão da Copa FGF e levou a vaga na Super Copa Gaúcha. Esse torneio, disputado  pelo 3 campeões regionais (São José, Cruzeiro e União Frederiquense) e mais o campeão da Copa FGF (Lajeadense), dá uma vaga na Série D 2016 e na Recopa Gaúcha 2016. Disputado em duas semifinais em jogos de ida e volta onde os vencedores fazem a final. O Lajeadense enfrentou o Cruzeiro na semifinal: 0x1 em Gravataí e 2x1 em casa, perdendo a vaga por ter levado 1 gol em casa. Em paralelo disputou o Campeonato da Região Sul-Fronteira (Copa Valmir Louruz – Zona Sul-Fronteira). Foi disputada por 5 equipes: Farroupilha, Inter B, São José, Lajeadense e Pelotas. Foi disputado em duas fases, onde classificam-se os 4 primeiros. O campeão ganha uma vaga na Supercopa Gaúcha. O Lajeadense foi quarto do grupo (2V,3E,3D). Resultados: 1x0 Inter B*, 2x2 Farroupilha, 1x3 São José*, 0x3 Pelotas, 1x2 Inter B, 3x1 Farroupilha*, 0x0 São José, 1x1 Pelotas* - *em casa. Classificou-se para as semifinais onde foi eliminado pelo São José: 1x1 em casa e 1x1 em POA, perdendo nas penalidades por 2x1.

Em 2016 disputou a Copa do Brasil e foi eliminado logo no seu primeiro jogo. Enfrentou o Figueirense no Beira-Rio e levou 2x0 dos catarinenses. Foi rebaixado no Gauchão

 

TÍTULOS

 

2015: Campeão da Copa FGF (Copa Luis Fernando Costa)

2015: Campeão da Recopa Gaúcha

2014: Campeão da Copa FGF (Copa Fernandão)

2014: Campeão da Supercopa Gaúcha

2014: Campeão da Copa Sul-Fronteira

2013: Vice-Campeão Gaúcho

2013 - Vice-Campeão da Copa Serrana

2011: Vice-campeão da Copa FGF (Copa Laci Ughini)

1999: Vice-campeão da Copa RBS

1998:  Campeão da Copa Abílio dos Reis

1955, 1956, 1986, 1997, 2010: Vice-campeão da Segundona Gaúcha

1959 e 1979: Campeão da Segundona Gaúcha

 

ESTÁDIO

Seu estádio era o FLORESTAL e tinha capacidade para 5.000 pessoas. Ele foi Inaugurado em 1961 e usado até o final de 2011. Foi o primeiro estádio do interior do Rio Grande do Sul com pavilhão.

Seu estádio atual é a Arena Alviazul, inaugurada no dia 25/01/2012, na derrota para o Caxias por 2x0, possui estrutura moderna, atendendo à todas as exigências para o padrão Fifa de estádios de futebol. Com capacidade para 7.000 pessoas, 19 camarotes, academia de musculação, sala de fisioterapia, cozinha, refeitório e toda estrutura para o atleta profissional, o estádio Alviazul está entre os melhores do sul do país.

Sua sede está localizada na RS-130, km 2, 7.900 - Bairro Floresta - Lajeado

  Foto: Lidiane Mallmann/Especial