Sociedade Esportiva Recreativa e Cultural Brasil

Sociedade Esportiva Recreativa e Cultural Brasil

Fundado em 15/01/1939 na cidade de Farroupilha.


 

 

 

CAMISA ANO 1994

 

À época, a Ferrovia era o principal meio de transporte ligando comunidades na serra gaúcha. Ela teria papel determinante na fundação do clube. O berço do Brasil, sua manjedoura, estaria às margens da ferrovia. A reunião que definiu a criação do Brasil Futebol Clube aconteceu no Armazém da Viação Férrea. Um dos fundadores foi Arlindo Peterse, agente da Viação. Foi ele quem tomou a iniciativa de solicitar e utilizar o local para a Assembléia de fundação do Clube. O Brasil nasceu à beira dos trilhos

Foi assim, na base da superação, que os primeiros atletas levavam o Brasil adiante. Foram os próprios jogadores que construíram o Estádio da Baixada Rubra no ano de 1949.

Nesse local, o Brasil viveu seus grandes momentos, como a conquista do Estadual de Amadores em 1963.

O Brasil torna-se profissional no início da década de 70, mas é na década de 80 que surgem os primeiros bons resultados. 

Em 1971 disputou a Copa Governador do Estado (Copa Governador do Estado - Euclides Triches). O regulamento era 33 clubes do interior divididos regionalmente em 6 grupos. O Brasil/Far não teve muito êxito e não chegou as finais

Em 1972 disputou a Copa Governador do Estado (Copa Governador do Estado - Euclides Triches). O regulamento era 29 clubes do interior divididos regionalmente em 4 grupos. Os 3 primeiros classificavam-se para a fase final, onde juntavam-se com mais 8 os clubes (Caxias, Aimoré, Novo Hamburgo, Esportivo, Santa Cruz, Cruzeiro, Gaúcho e Brasil/Pe) e o melhor levantava a taça. O Brasil/Far foi penúltimo do grupo 4 e foi eliminado (3V,5E,6D)

Em 1973 disputou a Copa Governador do Estado (Copa Governador do Estado - Euclides Triches). O regulamento era 25 clubes do interior divididos regionalmente em 5 grupos. Os 2 primeiros classificavam-se para a fase final, onde juntavam-se com mais 10 clubes (Caxias, Aimoré, Bagé, Esportivo, Inter/SM, AESA, Gaúcho, Pelotas, São José e Brasil/Pe) e o melhor levantava a taça. O Brasil/FAR foi terceiro do grupo 2 e foi eliminado (3V,2E,3D)

Em 1975 disputou a Copa Governador do Estado. Foi disputada por 54 equipes do interior e dava vagas ao Gauchão do ano seguinte e as Copinhas disputadas no segundo turno (Cícero Soares e Pedro Carneiro Filho). Eram várias fases classificatórias até as finais. O Brasil/Fa não foi bem e levou apenas uma vaga na Copa Cícero Soares do mesmo ano

Em 1985 disputou a Terceirona Gaúcha. Eram 15 clubes divididos em 4 grupos, onde os 3 primeiros se classificavam para a segunda fase. O mais curioso desse regulamento da primeira fase é que dois grupos tinham só 3 equipes, ou seja, já estavam classificados. Foi o que aconteceu com o Brasil de Farroupilha que caiu no grupo 3 ao lado do Glória e Igrejinha. Ficou em segundo com 3 pontos (3E,1D) e seguiu em frente. Na segunda fase foi o lanterna do seu grupo (6 pontos) e foi eliminado

O Brasil é finalista da 2ª Divisão Gaúcha de Profissionais em 1986 e 1988. Em 86 inclusive, o Brasil conquista o título da Repescagem da Segundona. O jogo do título foi no Estádio das Castanheiras, palco das glórias atuais do clube.
Em 1992 surge a maior conquista do clube. O Brasil é Campeão Gaúcho da 2ª Divisão, subindo assim para a Divisão Especial, onde permaneceria por sete temporadas, sempre tendo grandes embates com os grandes clubes do Estado. No ano de 1992, a Sociedade Esportiva Recreativa e Cultural Brasil de Farroupilha via o sonho de três gerações se concretizando. O time chegava à primeira divisão do Campeonato Gaúcho, cinqüenta e três anos após a criação.

Em 1993 disputou o inchado Campeonato Gaúcho, dessa vez sendo disputado por 24 equipes: Guarany/GA, Brasil de Farroupilha, Inter/SM, Lajeadense, Guarany/CA, Ypiranga, Juventude, Grêmio, Glória, Passo Fundo, Caxias, Esportivo, Inter, Grêmio Santanense, Pelotas, Santa Cruz, São Luiz, Guarani/VA, São Paulo, Aimoré, Brasil/Pe, Novo Hamburgo, Ta-guá e Dínamo/SR. Nesse ano o regulamento era o seguinte: as 22 equipes do interior jogam se enfrentam em turno/returno. Classificam as 14 primeiras colocadas que se somam a dupla grenal. As 16 equipes formam 4 grupos com 4 equipes, onde os dois primeiros classificam para um octogonal. O campeão desse octogonal levanta a taça. Seriam rebaixados os dois últimos na primeira fase. O Brasil-Far, em sua estreia na elite, fez uma razoável campanha e ficou em 15° (8V,4E,9D), ficando a um passo da classificação para a segunda fase. Também disputou a Copa do Rio Grande do Sul. Eram 10 times jogando em turno e returno. Os 4 melhores iam para a semifinal em jogos de mata-mata. O Brasil-FA ficou em segundo lugar (9V, 3E, 6D) e foi para a semifinal onde eliminou o Guarany-GA, após empatar fora por 0x0 e vencer em casa por 3x2. Na final contra o Brasil de Pelotas, empatou fora o primeiro jogo em 2x2. Na decisão em casa, empate em 0x0 no tempo normal e na prorrogação. Nos pênaltis deu o time pelotense por 3x2 e o time da Serra ficou com o Vice-Campeonato. Ainda participou de um qualificatório regional que daria vaga na Série B 1994. O adversário foi o Juventude. No primeiro jogo no Jaconi, perdeu por 2x1. Uma semana depois, jogando em casa, venceu por 1x0. Com isso, houve um jogo de desempate em campo neutro (no Beira-Rio). O Brasil perdeu por 1x0 e não conseguiu a vaga

Em 1994 disputou o Campeonato Gaúcho, dessa vez sendo disputado por 23 equipes: Guarany/GA, Bagé, Brasil de Farroupilha, Inter/SM, Lajeadense, Guarany/CA, Ypiranga, Juventude, Grêmio, Glória, Passo Fundo, Caxias, Esportivo, Inter, Grêmio Santanense, Pelotas, Santa Cruz, São Luiz, Guarani/VA, São Paulo, Aimoré, Brasil/Pe e Veranópolis. Esse foi o campeonato mais longo da história, durou de março a dezembro. Cada equipe fez incríveis 44 jogos. Nesse ano o regulamento era bem simples: todos contra todos em turno e returno e o primeiro levantava o caneco, porém houve uma espécie de rebaixamento em massa, pois o regulamento dizia que do 15 ao 23° iriam jogar a Segundona do ano seguinte. O Brasil-Fa fez uma boa campanha, ficou em 8° e garantiu presença na elite do próximo ano (15V,18E,11D)

Em 1995 disputou o Campeonato Gaúcho (nesse ano teve uma grande confusão, pois a elite foi dividida em Série A e B. A Série B era uma Divisão Intermediaria. Os clubes eram campeões de seus grupos e subiram para a “primeira divisão” no mesmo ano. Em tese seria a atual Segundona. Também teve a 2°divisão, que é em tese seria a atual Terceirona). A “Série A” foi disputado por 14 equipes: Guarani-VA, Juventude, Pelotas, São Luiz, Santa Cruz, Brasil/PE, Glória, Grêmio, Grêmio/SL, Brasil-Far, Caxias, Inter, Veranópolis e Ypiranga. A “Série B” tinha 10 equipes: Guarany/GA, Inter/SM, Passo Fundo, Atlético de Carazinho, 15 de Campo Bom, Esportivo, Lajeadense, Aimoré, Bagé e Guarany/CA. Nesse ano o regulamento era: Na Série A todos contra todos em turno e returno. Os 6 primeiros se classificam para o octogonal final junto com os dois primeiros da “série B” (Esportivo e Atlético de Carazinho que classificaram). Na série B todos jogam contra todos e os 6 primeiros se classificam para formar dois grupos com 3 times, onde os vencedores disputam o octogonal. O octogonal seria dividido em dois grupos de 4 onde os vencedores fariam a final. O rebaixamento seria disputado em um torneio da Morte entre os quatro últimos da “Série B”. O Brasil-F fez uma boa campanha  e ficou em 5° da “Série A” (9V,10E,7D) garantindo presença no octogonal, onde ficou em 3° do grupo B (1V,2E,3D)

Em 1996 disputou o Campeonato Gaúcho (nesse ano repetiu-se a fórmula do ano anterior, com 14 times na Série A e 14 times na Série B). A “Série A” participou: Guarani-VA, Atlético de Carazinho, Esportivo, Juventude, Pelotas, São Luiz, Glória, Grêmio, Grêmio/SL, Brasil-Far, Caxias, Inter, Veranópolis e Ypiranga.  A “Série B” tinha: Guarany/GA, Inter/SM, Passo Fundo, Santa Cruz, Brasil/PE, 15 de Campo Bom, Palmeirense, Aimoré, Santo Ângelo, Taquariense, 14 de Julho/SL, Rio Grande, São Paulo e Pratense. Nesse ano o regulamento era: Na Série A eram dois grupos em jogos entre grupos (turno) e dentro dos seus grupos (returno). O primeiro de cada grupo (turno e returno) se classifica direto para o octogonal final junto com o quinto e sexto colocado da classificação geral. Na série B são dois grupos, onde os 4 primeiros classificam para um octogonal (aqui são divididos em dois grupos de quatro, onde o primeiro ia para a fase final do gauchão – Santo Ângelo e Brasil/Pe). O rebaixamento seria disputado em um torneio da Morte entre os quatro últimos da “Série B”. O Brasil/Fa fez uma campanha regular e ficou em 8° na classificação geral da “Série A” (5V,2E,6D) e se manteve na elite

Em 1997 disputou a Copa Galego. Eram 12 times divididos em dois grupos, onde os 4 primeiros de cada grupo se classificariam para a segunda fase, onde seria formado dois novos grupos de 4 times. Os campeões desses grupos fariam a final da competição. O Brasil-Far ficou no grupo 2 e foi o penúltimo (2V, 6E, 2D). Foi eliminado ainda na primeira fase. Ainda disputou o Campeonato Gaúcho (nesse ano repetiu-se a fórmula do ano anterior, com 14 times na Série A e 14 times na Série B - Os melhores colocados da B sobem no mesmo ano para a fase final da Série A). O Brasil fez uma boa campanha na “Série A”. Na primeira fase, onde todos se enfrentam, foi o 7°colocado (5V,4E,4D) e classificou-se para a fase final, onde cairia em um grupo com o Inter, Brasil de Pelotas, Juventude e o Guarani/VA. Foi muito mal e segurou a lanterna, sem vencer nenhum jogo (1E,7D). Ficou fora da final.

Em 1998 disputou o Campeonato Gaúcho “Divisão A” mas não chegou as finais

Em 1999 disputou o Campeonato Gaúcho “Divisão A” e foi rebaixado para a segunda divisão

Em 2004 disputou a Copa RS (Copa Colombo/LG). Essa competição disputada após o Gauchão trazia 28 equipes, distribuídas em 5 grupos, onde os 3 melhores iriam para as oitavas de final (exceção no grupo A classificava-se 4 times). O Brasil ficou no grupo C ao lado de mais 5 times. Disputou 10 jogos.  Acabou em penúltimo do grupo (3V, 3E, 4D) e foi eliminado

Em 2007 disputou a Copa FGF (Copa Paulo Rogério Amoretty). Eram 17 times divididos em dois grupos. Os 4 primeiros de cada grupo classificavam para as oitavas de final. O campeão garante vaga na Série C 2008 e na I Recopa Sul-Brasileira. O Brasil ficou no Grupo B e acabou em quinto, após uma  campanha razoável (5V, 5E, 4D) e foi eliminando ainda na primeira fase.

Em 2008 disputou a Copa FGF (Copa Lupi Martins). Eram 18 equipes divididos em 2 grupos de 9 times, onde apenas os últimos de cada grupo não iriam para a segunda fase. O campeão garantiria vaga na Série D 2009 e na Recopa Sul-Brasileira 2008. O Brasil acabou em sétimo no Grupo A (3V, 8E, 5D) e foi para a segunda fase, onde foi eliminado pelo Inter B (0x4 casa e 0x5 fora)

Em 2015 disputou a Copa FGF (Copa Luiz Fernando Costa). Foi disputada por 18 equipes em jogos de mata-mata. O campeão leva uma vaga na Supercopa Gaúcha 2015 e na Copa do Brasil 2016. O Brasil de Farroupilha caiu ainda na primeira fase diante do Novo Hamburgo, perdendo em casa por 2x1 e empatando no Vale em 1x1. Ainda disputou o Campeonato da Região Metropolitana (Copa Valmir Louruz – Zona Metropolitana). Foi disputada por 5 equipes: Novo Hamburgo, Cruzeiro, Juventude, Brasil de Farroupilha e Grêmio B. Foi disputado em duas fases, onde classificam-se os 4 primeiros. O campeão ganha uma vaga na Supercopa Gaúcha. O Brasil foi terceiro do grupo (3V,2E,3D). Resultados: 0x0 Juventude*,  1x0 Novo Hamburgo, 1x0 Cruzeiro*, 1x0 Grêmio B, 1x1 Juventude, 1x2 Novo Hamburgo e 0x2 Cruzeiro e 0x1 Grêmio B*  *em casa. Classificou-se para as semifinais onde foi eliminado pelo  Cruzeiro: 1x1 em casa e 0x2 em Eldorado do Sul

 

ESTÁDIO

Construído pela Prefeitura de Farroupilha, o Estádio das Castanheiras tem capacidade para aproximadamente 5 mil pessoas. 

 

  Foto: Porthus Junior / Agencia RBS

 

TÍTULOS

  • Campeão Gaúcho de Amadores 1963
     
  • Campeão Gaúcho da 2°Divisão Região Serra 1972
     
  • Campeão da Segundona Gaúcha 1992
     
  • Vice-Campeão da Copa RS 1993